26 novembro, 2008

Lingue do Piemonte



Os lingues do Piemonte são grissines achatados, finos, crocantes e bem saborosos. E além de tudo isto, são rápidos e fáceis de fazer.
Eis a receita:


300 gramas de farinha de trigo
1 colher de chá de sal
125 ml de água morna
2 colheres de sopa de azeite.

Misture todos os ingredientes e trabalhe a massa por uns 5 minutinhos. Deixe descansar por pelo menos 20 minutos. Abra a massa com a ajuda de um rolo. Pincele-a com azeite e faça vários furinhos com o garfo ao longo de toda a sua superfície. Corte em tirinhas e leve ao forno em forma untada com azeite por uns 15 minutos. Retire os lingues do forno assim que dourar. Deixe esfriar e ... devore-os.




Receita retirada da Larousse da Cozinha Italiana.

3 comentários:

Nathalia disse...

Olá, Lara
Este não é especificamente um comentário, mas perdi seu e-mail. É uma dica que eu recebi da Gradiva e lembrou-me você. Espero que goste.
Abraço,
boas receitas e escritos,
Maria Nathalia
Lá vai:

Histórias para crianças, contadas a adultos? Postais para adultos, lidos a crianças? Romance de terror, ou para meter medo ao medo? Relatos fantásticos, ou retratos do quotidiano banal? Sonhos ou pesadelos? Alucinações ou pressentimentos? Memórias de infância, ou ecos de outro universo? O herói da narrativa, um fedelho chamado Miguel, com a mãe doente e o pai ausente, não tem super-poderes (aliás, possui super-fraquezas), gosta de trocadilhos e pirraças, mas não é para brincadeiras: pode vencer os grandes deste mundo e dos outros.

Com esta obra, Nuno Rogeiro estreia-se no domínio da ficção juvenil. Tendo sido na sua pré-história, uma série de contos destinados a convencer os filhos a comer, As Aventuras de Miguel, ganharam vida própria e transformaram-se em livro. Com um pequeno ensaio «pedagógico» (ou subversivo?), ilustrações do autor, homenagem aos clássicos do género, e alguns desafios aos leitores, aqui ficam, em prato raso, histórias para comer.

Investigador, conferencista, docente, analista e autor nas áreas de ciência política, relações internacionais, defesa e segurança, Nuno Rogeiro trabalhou nos últimos 25 anos na comunicação social, escrita e electrónica, radiofónica e televisiva. Foi membro fundador da Associação Portuguesa de Ciência Política, é co-director do Instituto Euro-Atlântico. Mantém, na SIC Notícias, o programa semanal «Sociedade das Nações», e, na revista Sábado, a coluna «Relatório Minoritário».

Nana disse...

Adorei a sua receita e vou fazer para o Ragazze (blog italiano junto com as minhas sócias)!
Obrigada por compartilhar conosco querida.
Bjs

Claudia disse...

Deve ficar bem gostosinho este biscoitinho e simples de fazer!

Boa dica, obrigada.

Até a volta!

C.