09 agosto, 2007


Eu prometi a um amigo siciliano – o autor desta linda foto, com quem compartilhei a deliciosa banana brulée do Zazá Bistrot – uma receita de Gratin Dauphinois. Eu, particularmente, adoro batatas e acho esta receita simples fantástica. As batatas fazem sucesso em qualquer parte e podem ser feitas de inúmeras maneiras – gratinadas, sautées, no vapor, ou cozidas, fritas, raladas...., talvez esta seja uma das razões da sua glória. Seu cultivo é também bastante simples (que viu o último programa de Jamie Oliver sabe o que quero dizer) e relativamente barato. Veja o que o grande Alexandre Dumas nos conta a respeito:


“Em 1793, as batatas eram consideradas tão indispensáveis que um decreto da
República Francesa ordenou um censo dos jardins de luxo, a fim de que eles
pudessem ser destinados ao cultivo desse tubérculo. O resultado foi que a
principal avenida do Jardim das Tulherias e os canteiros de flores passaram a
ser de cultivo de batatas. Por isso, as batatas por muito tempo também tiveram o
nome de “laranjas reais”

A receita:

1 dente de alho
1 kg de batatas grandes, descascadas, em rodelas finas
1 xícara de chá de queijo gruyère, suiço ou françês, ralado na hora
1 xícara de chá de crème fraîche
sal

Esfregue o alho no interior de um prato refratário, de preferência de porcelana. Arrume uma camada com metade da batata. Espalhe metade do queijo e, depois, metade do creme. Polcilhe com sal. Arrume camadas iguais na mesma ordem, até que terminem os ingredientes. Leve ao forno, com o prato destampado, até que a superfície fique crocante e dourada (de 50 a 60 minutos). Sirva imediatamente.

Bom jantar amigo Biagio!

Obs: receita de Patricia Wells, Cozinha de Bistrô.

Um comentário:

Biagio disse...

Obrigado, Lara!!! vc é um gênio!