12 maio, 2007

Salgada surpresa!


Ontem fui almoçar num restaurante japonês aqui perto de casa. Geralmente peço um combinado executivo, mas ontem resolvi experimentar um novo prato do cardápio – ceviche de linguado ao molho cítrico com chips de batata doce. Amei o tal do ceviche. Sabe aquela vontade de comer todo dia o mesmo prato? Sabe aquele arrependimento por nunca ter experimentado um prato? Pois é, corri para casa e desandei a procurar receitas na Internet que pudessem parecer com a que comi. Misturei duas ou três e deu esta aí. Ainda não fiz, mas acho que é por aí.



Ceviche de linguado ao molho cítrico


Para o ceviche:

1 kg de linguado cortado em fatias finas (tirinhas)
1/2 cebola roxa bem picadinha
1 colher de mostarda preta em grão
1 colher de chá de raspas de limão
2 colheres de sopa de ciboulette picadinha
sal e pimenta-do-reino a gosto

Preparo do prato:

Em um recipiente, coloque os peixes cortados, adicione metade do molho, cubra com papel-alumínio e deixe na geladeira por 30 minutos. Adicione todos os ingredientes restantes em uma vasilha e agregue o restante do molho. Mexa bem. Incorpore o peixe, verifique os temperos e monte o prato.


Para o molho cítrico:

100 ml de suco de limão-Taiti
100 ml de suco de limão-siciliano
100 ml de suco de laranja
1 colher de chá de gengibre ralado
1 colher de sopa de açúcar
2 colheres de sopa de azeite aromatizado com alho
2 colheres de sopa de azeite extra-virgem

Preparo do molho: Bata no liquidificador todos os ingredientes até que a mistura fique homogênea.


Claro que os chips de batata doce são dispensáveis - mas são um toque. Basta cortar a batata doce em rodelas finissímas e assá-las sobre papel manteiga.


Fui comer no Japão e acabei no Peru!!

2 comentários:

Cláudia A. disse...

Delicioso Lara. Também tenho ensaiado para comer ceviche, não consigo largar do sushi (amor antigo). Você me encorajou. Um beijo.

valentina disse...

Tem se falado muito em cozinha peruana por aqui. Li que têm uns chefes novos que estao combinando o tradicional com o inovador e o resultado é sempre muito interessante.