16 abril, 2010

"Mary e Max - Uma Amizade Diferente"





Existem alguns temas que nos são, especialmente, caros. A síndrome de asperger é um destes para mim. Por isto, sempre que vejo um filme ou leio um livro que envolva este assunto fico muito sensibilizada, tentando entender o sofrimento que a solidão acarreta nas pessoas. Hoje vi um filme assim. Entrei no cinema sem ter a menor idéia do que se tratava, apenas sabia que era um filme de animação – uma espécie de isca poderosa, capaz de me arrastar às salas mais longínquoas da cidade. Mas eis que saí do cinema completamente mobilizada e emocionada com a história que vi sendo contada através da amizade inusitada de duas pessoas absolutamente comprometidas com o laço que os unia. E a vida é assim – ela só faz sentido quando nos disponibilizamos para o outro, quando nos esforçamos para nos conectar com algo que nem sempre é palpável, mas que sem dúvida é o maior alimento que temos – o amor.




3 comentários:

happynest disse...

Ontem me lembrei de seu post falando sobre a a Sindrome de Asperger. Estou acompanhando uma nova série de TV chamada "Parenthood" no canal Liv ( antigo People&Arts- TV a cabo Net). Aqui passa às quintas feiras 22:00 h.
Bom, o protagonista principal e sua esposa, percebem certas dificuldades em seu filho mais novo, mas não querem ver que ele tem problemas. Acreditam que seja uma questão de personalidade do menino. Enfim, aborda a dificuldade dos pais em aceitar e posteriormente lidar com o problema ( Sindrome de Asperger). É muito tocante, principalmente quando finalmente aceitam o diagnóstico. Quando vi (e vou continuar vendo pois a série e os atores são muito bons) me lembrei de seu post. Delicado e sincero como sempre. Se puder assistir a série acho que vai gostar.
beijos
Rosemary

sandra camara disse...

vi hoje este filme, me senti emocionalmente abalada, para o bem, apesar dele nos apresentar o lado difícil do ser humano, da convivência. Gostei de tudo e principalmente do fechamento: "Deus nos deu os parentes. Ainda bem que temos amigos!"

sandra camara disse...

vi hoje este filme, me senti emocionalmente abalada, para o bem, apesar dele nos apresentar o lado difícil do ser humano, da convivência. Gostei de tudo e principalmente do fechamento: "Deus nos deu os parentes. Ainda bem que temos amigos!"